Saiba mais sobre Parto Cesariana

Parto Cesariana é o mais comum

O parto cesariana é o nascimento feito através de uma incisão na parede abdominal e do útero, em vez de através da vagina. Tem havido um aumento gradual na cesarianas nos últimos 30 anos.

Existem muitas razões pelas quais um médico pode sugerir um parto cesariana. Algumas cesarianas são feitas em mulheres grávidas em situações críticas, algumas são usadas para evitar situações críticas e algumas são preferência da mulher que está grávida.

Um parto cesariana leva em média entre 45 minutos a uma hora. O bebê é geralmente nasce, nos primeiros 5 a 15 minutos, com o tempo restante utilizado para fechar a incisão.

Antes da cesária, a paciente recebe um anestésico (anestesia geral, raquidiana ou peridural. A anestesia geral é normalmente utilizado apenas para cesarianas de emergência, porque ela funciona rapidamente. A anestesia espinhal e epidural irá adormecer a área do abdômen abaixo da cintura (às vezes as pernas podem ficar dormente também), de modo que não se sente nada durante o procedimento. Neste procedimento, você provavelmente vai receber um cateter para coletar a urina, enquanto a parte inferior do corpo está dormente.

O médico primeiramente irá fazer uma incisão na parede do abdomen. Em uma cesariana de urgência, esta provavelmente será uma incisão vertical (do umbigo até a região pubiana), que irá permitir que o médico, retire o bebê mais rapidamente. A incisão mais comum é feita horizontalmente (muitas vezes chamado de um corte de biquíni), um pouco acima do osso púbico. Os músculos do estômago não serão cortados. Eles vão ser separados para que o médico possa ter acesso ao útero.

Uma incisão será então feita no útero, na horizontal ou na vertical. O mesmo tipo de incisão não tem de ser feita tanto no abdomen e no útero. A clássica incisão feita na vertical, é geralmente reservada para situações complicadas, como placenta prévia, emergências, ou para bebês com anomalias. Outro tipo de incisão que é raramente usada é a incisão segmento inferior vertical. Ela só é utilizada nos casos em que problemas com o útero não permitem fazer o outro tipo de incisão.  A incisão mais comum é a incisão transversal. Esta incisão tem menos riscos e complicações do que os outros e permite que a maioria das mulheres possam tentar um parto normal em uma proxima gravidez.

O médico irá, em seguida, sugar o líquido amniótico e depois retirar o bebê. A cabeça do bebê será tirada primeiro para que a boca e o nariz possam ser limpos, permitindo assim a respiração. Depois disso o bebê é entregue a mãe. E em seguida o bebê é entregue a uma enfermeira para as primeiras avaliações.

Após a cirurgia, você pode começar a sentir náusea e tremores. Isto pode ser causado pelos efeitos da anestesia, ou porque a adrenalina vai baixando. Estes sintomas geralmente passam rapidamente e pode ser seguido por sonolência. Se o bebê é saudável, você já poderá amamentá-lo.

Quando a paciente receber alta do hospital será informada sobre os cuidados adequados no pós-operatório.

Diversos países têm taxas de cesariana muito acima dessa recomendação, incluindo o Brasil, onde mais de 50% dos partos totais são cesarianas (e, na rede privada de hospitais, a taxa é de mais de 80% de cesarianas).

As preocupações se devem ao fato de que a cesariana oferece riscos que são ignorados pela maioria das mães, eles incluem: ocorrência de aderências, infecções, hematomas, hérnias, lesões na bexiga ou outros órgãos, hemorragias, acidentes anestésicos e tromboembolismo. Para o bebê incluem cortes acidentais, desconforto respiratório, maior necessidade de UTI neonatal e mais dificuldades posteriores na amamentação.





Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *